sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Estas no son mis armas!


Longe de ser um perigoso revolucionário ou agitador tenho dificuldade em aceitar o pacifismo incondicional. Vindo do budismo ou hinduísmo aceito-o mais facilmente porque sucede a uma matriz cultural e religiosa. Já não entendo os "indignados" espanhóis que apanham porrada de criar bicho e agitam as mãos gritando "estas son nuestras armas".

Não me verão atirar a primeira pedra nem cair na esparrela dos agents provocateurs, mas não esperem de mim a cristã atitude de levar e oferecer a outra face. 

O recurso à violência legitima violência. Vem esta prosa a propósito da carga exercida sobre os manifestantes "laicos" nas Puertas de Sol. Sem provocação ou agressão o direito à manifestação é legítimo tanto para os católicos como para quaisquer outros. O estado espanhol exerceu a sua laicidade à bastonada, provando que de laico tem muito pouco. Torquemada toma novas faces, deixando medievas vestes inquisitoriais e travestindo-se de polícia de choque. Quando provocado e havendo pedras à minha volta, serão essas as minhas armas.

UpdateSegún el sindicato policial, "en las imágenes difundidas no aparecen razones de seguridad ni restablecimiento del orden que justifiquen dichos golpes".
ViaPublico.es/Der Terrorist

4 comentários:

O abominável careca disse...

Boas.
Estava a ver que não escrevias umas linhas acerca deste assunto tão actual.
Realmente a Europa e mais concretamente a Espanha não nos deixam de surpreender e pela egativa como já vem sendo hábito.
Não tenho nada contra os católicos e as suas manifestações de fé e algum delírio quando confrontados com a visita do mais alto representante da igreja, acho é um desplante quer os manifestantes laicos quer as forças da segurança "por da cá aquela palha" toca a malhar como se não houvesse amahã!
Isto com um governo PS imagina agora o que será amanhã com um governo centro-direita..."Até os escalpes arrancam aos manifestantes!!!
È por estas e por muitas outras que comigo a participação em acções de protesto só quando devidamente equipado para desse modo ninguém se ficar a rir...
E em jeito de conclusão quanto mais vejo o júbilo cristão mais orgulho sinto na minha laicidade!
Um abraço e bom fim de semana a todos!

Fernando Lopes disse...

Abominável,

...quanto mais vejo o júbilo cristão mais orgulho sinto na minha laicidade! diz tudo!!
Belíssimo comentário.

Abraço,
Fernando

Nuno disse...

Toda esta situação é lamentável. Em primeiro lugar pelo dinheiro despendido pelo Estado numa actividade da Igreja, o qual poderia ser usado em políticas sociais ou em incentivos à economia, numa altura em que os mesmos são bastantes necessários. Já que apregoam tanto a iniciativa privada, acho que se houvesse quem queria ver o Papa tem todo o direito, mas que tal não fosse feito com dinheiros públicos e num claro favor à religião católica. Relativamente aos protestos, parecem-me totalmente legítimos e os casos de violência parecem-me muito provocados pela actuação da polícia, nem sei se inclusivamente para tentar descredibilizar os argumentos dos manifestantes na opinião pública.

Fernando Lopes disse...

Nuno,

Mais do que o dinheiro (e há que reconhecer que os peregrinos também geram receita) o que me perturba é o Estado, através da polícia, assumir-se como parte da "contenda". Cumprir-lhe-ia prevenir ou minimizar conflitos e não ser parte activa, flagrantemente a favor de uma das partes. Hoje proíbem e agridem manifestantes laicos, amanhã pode ser outra causa qualquer ...

Um abraço e os meus agradecimentos pelo seu contributo,

Fernando

Enviar um comentário

A minha alegria são os teus comentários. Simples ou elaborada a tua opinião conta. Faz-te ouvir! Comenta!