segunda-feira, 16 de maio de 2011

E se?

E se, subitamente, ficasse com medo de sair de casa? E se o carro com que se desloca lhe parecesse um objecto ameaçador? E se um amante do sol só se sentisse seguro encolhido no ventre do breu? E se o mundo lá fora lhe parecesse tão aterrorizador que sair de casa se tornou um acto de coragem? Algo desconhecido despoletou em mim um terrível medo do mundo. Estou há quatro dias receoso de tudo o que me rodeia como se o mundo me fosse tragar e num turbilhão de gente, de sons, de caos, desaparecesse para sempre. Como a história de Jonas e a baleia. Tenho de ir falar com um psi e descobrir as origens deste medo, tudo isto é absolutamente estranho.

12 comentários:

Ricardo disse...

Companheiro, dispõe da minha pobre carcaça para enfrentares o Mundo. Esse lugar genéricamente mal frequentado mas onde subsiste a Esperança.
Estou de momento também em reclusão forçada (em estudo) e a aguardar a conclusão do meu processo profissional que deve ter dado hoje um passo importante no bom sentido.
Diz-me pois quando e onde te queres sentar em frente a um razoável "shrink" como este teu Amigo, de preferencia na companhia de um bom tinto ou umas cervejas a estalar de geladas, para tratar de por o Mundo, essa entidade esquisita, no seu devido lugar...aos nossos pés.


Aguarda noticias minhas pelo Viber,

Abraço

Ricardo

Fenix disse...

Fernando

As suas defesas estão em baixo...mas vai ver que é passageiro!

Força!


Abraço
Ana

Fernando Lopes disse...

Ricardo,

O que seria eu sem amigos como tu. Certamente muito pior ser humano.
Não há palavras, se fosse gaja, casava-me contigo! :)

Abraço,
Fernando

Fernando Lopes disse...

Ana,

É uma situação completamente nova para mim. Não consigo perceber se são ataques de pânico ou alguma espécie de agorafobia. De qualquer forma as suas palavras são um incentivo. Amanhã volto à luta. A amizade não se agradece, por isso, envio-lhe apenas um apertado abraço de reconhecimento.

Fernando

O abominável careca disse...

Boas,
Ontem estive contigo após a publicação do artigo em questão e muito honestamente parecias "normalzito".
Não será o síndrome das segundas a fazer das suas novamente?!
Rápidas melhoras e se for o caso mete uns dias de descanso e vais ver que ficas logo novo!
Um abraço!

Fernando Lopes disse...

Abominável,

Não estou a babar pelos cantos da boca. Mas também não consegui conduzir. Isto passa, que remédio.

Abraço,
Fernando

Anónimo disse...

Fernando, então?!
Espero que à hora que leres este comentário estejas melhor. E que tenha sido algo passageiro.
Beijo grande, força e as melhoras.
Xana

Fernando Lopes disse...

Obrigado Xana.
Nada de grave certamente. Mas como tudo o que não controlamos [cabeça principalmente], um bocado assustador.

Beijo,
Fernando

Margarida disse...

Fernando

Permite-me um conselho, bem ao estilo "psi": faz uma dupla lista: de um lado, aquilo de que te orgulhas ter conseguido na tua vida e do outro, o que não gostas. Tenho a certeza que, feitas as contas, será bastante positivo. Sempre ajuda à auto-estima!
Acho que às vezes estamos tão ávidos de viver que nos esquecemos de fazer esse balanço.

Um abraço bem forte, virtual mas sentido!
Margarida

Fernando Lopes disse...

Margarida,

Conselho aceite. E é bom ver que os amigos se preocupam com as minhas maluquices.

Beijo para ti e abraço ao meu companheiro de luta Fernão.

M Manel disse...

Parece-me que anda por aí muito stress...
Esquece por algum tempo este molho de bróculos em que vivemos e curte aí uns filmes nices e uma música mais alegre!
Promete que durante uns dias só blogaremos banalidades, certo?

Bjs

Fernando Lopes disse...

Manel,

Banalidade é o meu nome do meio. Que mais poderias chamar a este post que banalidade?

Beijo e may the force be with you!

Enviar um comentário

A minha alegria são os teus comentários. Simples ou elaborada a tua opinião conta. Faz-te ouvir! Comenta!